Nos 8 primeiros meses de 2019 mais de 35 mil pessoas faltaram em consultas

Dado foi informado pelo gestor de Promoção da Saúde, Tiago Texera, durante audiência pública na Câmara de Jundiaí; lei aprovada em 2018 constitui campanha de conscientização sobre essas faltas

Mais de 35 mil pessoas faltaram a consultas médicas agendadas no sistema público, só nos primeiros 8 meses de 2019. O total é suficiente para suprir a demanda de atendimento da Clínica da Família no mesmo período, já que mensalmente o equipamento atende 4 mil consultas. Os dados foram divulgados pelo gestor de Promoção da Saúde, Tiago Texera, durante audiência pública na Câmara de Jundiaí. Lei aprovada pela Casa de Leis em 2018 implantou uma campanha permanente de conscientização a respeito dessas faltas.
Estavam presentes na audiência os vereadores Faouaz Taha, Wagner Ligabó, Valdeci Vilar, Cícero da Saúde, Márcio Cabeleireiro, Cristiano Lopes, Gustavo Martinelli e Arnaldo da Farmácia.
A lei citada acima foi proposta pelo presidente da COSAP (Comissão de Saúde, Assistência Social e Previdência), dr. Wagner Ligabó, e aprovada pelo coletivo de vereadores, que abraçaram a causa. O intuito é justamente reduzir o número de faltas, já que quando uma pessoa deixa de ir à consulta, o serviço de saúde deixa de atender um outro paciente que poderia ter acesso àquela vaga.
Texera ainda informou que 25 novos médicos foram contratados para a Atenção Básica, para suprir a falta de profissionais que se aposentaram ou exoneraram em algumas Unidades Básicas de Saúde. “Estamos investindo na atenção primária”, disse. “Só entre a Clínica da Família e a Unidade de Pronto Atendimento do Vetor Oeste atendemos 15 mil pessoas todos os meses”, reforçou o gestor.
Ligabó aproveitou a ocasião para convidar a população a comparecer na reunião pública sobre saúde que ocorrerá no dia 11 de outubro, às 18 horas, no Plenário da Câmara de Jundiaí. “Cada munícipe inscrito poderá fazer questionamentos e serão respondidos ao vivo com transmissão para a TV Câmara”, informou o presidente da COSAP.

Mais duas clínicas da família

Na audiência foi informado que no segundo semestre de 2020 será inaugurada a Clínica da Família da Vila Hortolândia e em seguida será a vez da Ponte São João receber equipamento semelhante.

Despesas aumentaram mais que as receitas

No início da audiência foram apresentados números alarmantes. Enquanto as despesas com os serviços de saúde aumentaram 13,65% no 2º quadrimestre de 2019 comparado com o mesmo período de 2018, a receita da prefeitura de Jundiaí aumentou apenas 5,4%. Também foi informado que no segundo quadrimestre de 2019 o valor empenhado para a sáude representa 25,55% da receita, mais de 10% acima do que o exigido por lei, que é 15% da receita.

Outros números relevantes

Para todo o ano de 2019 foi orçado o empenho de R$ 22 milhões em mandados judiciais, tanto de insumos quanto de medicamentos. Nos oito primeiros meses, no entanto, o empenho foi de R$ 9,6 milhões.
Dentre as despesas, o pagamento de prestadores de serviço representou R$ 222 milhões nos oito meses e engloba desde os oito diferentes contratos com o Hospital São Vicente de Paulo, que é o maior conveniado e recebeu R$ 145 milhões no período, até os exames laboratoriais, atendimento oftalmológico e até mesmo o Grendacc.
Vale ressaltar que o São Vicente é o único hospital estruturante que não recebe o recurso estadual do Programa Santas Casas SUStentáveis, uma demanda que vem sendo cobrada constantemente pelos vereadores de Jundiaí, que inclusive estiveram em reunião há pouco mais de um mês com representantes do governo estadual para tentar reverter essa situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *